Um pensar sobre os benefícios e os malefícios da internet para a cidadania, cultura e cidade

Na oficina do último dia 21, na ACIEPE, “Os diferentes olhares para a cidadania, cultura e cidade intermediados pela web: produção colaborativa de conteúdo multimídia visando engajamento e participação em um observatório”, foi apresentada a trajetória histórica de criação da internet, de modo que pudemos apreender toda sua construção até sua presente organização.Para embasar as discussões, a Profª Drª Vânia apresentou três vídeos para a construção da temática, o primeiro, “History of Internet” e dois vídeos da série “Como funciona a internet?”, Partes 1 e 2.

O vídeo “History of Internet” nos mostra que a composição e organização da internet como temos acesso hoje em dia, é um processo de meio século. Antes de 1957, os computadores realizavam apenas uma tarefa por vez, chamamos de Processamento por Lote. Com os avanços, os computadores precisaram ser repensados, visto a necessidade de conectá-los a partir de conexão remota, para que os desenvolvedores pudessem ter acesso direto aos computadores. A partir disso, passou a se pensar na ideia do compartilhamento, para que outros usuários pudessem ter acesso ao computador; chamamos este conceito de Time-sharing.

Como nenhum avanço está deslocado de um processo histórico-social, em 1957, com a Guerra Fria, os Estados Unidos, temendo possíveis ataques da então União Soviética, criou a Defense Advanced Research Project Agency (DARPA). Com o intuito de acelerar a transferência da informação e evitar duplicação de pesquisas, a DARPA criou uma rede de computadores, chamada de Arpanet. A partir disso, foram desenvolvidos outros três importantes conceitos: o conceito de uma rede militar, conhecida como Rand Corporation, nos EUA; o conceito de uma rede comercial, pelo National Physical Laboratory, (NPL), na Inglaterra e a rede científica Cyclades, na França. A partir destas três formas de abordagem que a internet, como a conhecemos hoje em dia, foi fundada.

A Arpanet foi fundada em 1966. Com a preocupação acerca das informações que seriam compartilhadas, foi necessário colocar pequenos computadores ligados ao Mainframe. Para as primeiras conexões entre computadores, foi desenvolvida o Networking Control Protocol (Protocolo de Controle da Rede), posteriormente substituído pelo Transmission Control Protocol (Protocolo de Controle de Transmissão).

Com a criação do NPL, desenvolvido numa base comercial, um grande número de usuários e de circulação de informação eram esperados. Desse modo, teve de se pensar em como não congestionar as linhas; os arquivos eram enviados em partes, em pequenos pacotes, que eram rearranjados no computador receptor da informação, chamamos esta transmissão de Packet Switching.

Receosos de um ataque de Cuba, os Estados Unidos, que tinham uma arquitetura de redes centralizadas, tiveram de repensar este modo de organização, transformando, assim, em uma arquitetura de redes descentralizadas; assim, caso um dos nós da rede fosse perdido, por conta de possíveis ataques, a rede poderia continuar operando. Outra preocupação era a comunicação, que se dava através de ondas de rádio, poderia ser comprometida por ataques. Deste modo, tiverem de pensar em uma rede distribuída.

Outro marco na história da internet, aconteceu a partir da rede francesa Cyclades. O termo inter-net surgiu a partir da interligação de redes. Outro destaque desta rede, em relação à Arpanet NPL, foi o fato de que, durante a comunicação entre dois pontos, o computador não precisou mais intervir, passou a ser utilizado como um nó de transferência. Assim, foi criada a conexão direta, entre o emissor e o receptor. A partir dessas mudanças, as companhias telefônicas desenvolveram o protocolo X.25., que permitiu a ligação entre esses servidores, através de gateways. Com a atuação da Open System Interconnection foi possível criar uma rede padronizada. Desse modo, criou-se a Internet.

Na Parte 1 da série, “Como funciona a internet?”, chamada “O protocolo IP”, nos foi apresentado que a rede de internet vai muito além dos cabos físicos.  Existe uma Camada Lógica que separa a internet do mundo das telecomunicações, o Endereço IP (Internet Protocol). O IP é um endereço numérico, único, atribuído a cada computador, por exemplo. As informações são divididas em pacotes e são etiquetados com o endereço de IP; sua importância é enorme, visto que, é este endereço numérico que permite, por exemplo, que um e-mail encaminhado encontre exatamente o computador de destino, ou seja, o IP faz com que a informação encontre seu destino correto.

Já a Parte 2, discorre sobre a internet ser uma rede de redes, que é formada por milhares de empresas independentes, Assim, cada rede que forma a internet recebe o nome de Sistema Autônomo (AS). Essas redes independentes formam a internet e utilizam padrões tecnológicos comuns, sendo identificadas por um número, o Autonomous System Number (ASN), em português, Número de Sistema Autônomo.
Estes Sistemas Autônomos são diversos, podem ser provedores (que oferecem) serviços, provedores de acesso (que oferecem acesso à internet) e os provedores de trânsito (provedores dos provedores). Estes provedores utilizam um protocolo, ou seja, um conjunto de regras próprios, para conversarem entre si; chamamos este protocolo de Border Gateway Protocol (BGP). Sua função é ensinar caminhos ou rotas e construir mapas. Assim, o AS envia e recebe informações de outro AS, como endereço de IP de seus usuários e serviços. Para tanto, os AS podem se conectar entre si, através de uma estrutura compartilhada, chamada de Ponto de Troca de Tráfego (PTT).

Após a apresentação e discussão dos vídeos, os participantes foram convidados a se dividirem em grupos para debaterem acerca dos malefícios e benefícios da internet para a cidadania, cultura e cidade. Para tanto, produziram cartazes, onde puderam materializar a proposta. O resultado da produção pode ser conferido nas imagens a seguir.

 

Desse modo, convidamos a todos para esta discussão, comente, compartilhe, dê sua opinião a respeito do tema.

Material de referência:

https://www.cs.ucsb.edu/~almeroth/classes/F10.176A/papers/internet-history-09.pdf

https://www.investintech.com/content/historyinternet/

https://www.w3schools.com/

Outros vídeos interessantes (indicação do Prof. Hélio Guardia):

How the Internet Began (1969–1983) with Vint Cerf and Leonard Kleinrock:
https://www.youtube.com/watch?v=VkmSjfPfXXI

Sobre a Internet (em 2009):
https://www.youtube.com/watch?v=9hIQjrMHTv4

Por Robert Moura.

agosto 21, 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *